OS ANIMAIS TÊM RAZÃO


Os Animais Tem Razão por Antônio Francisco, ilustrações de Rafael Limaverde, Editora IMEPH, 2010. Quando um sertanejo com sono e muito cansado encontra em seu caminho um juazeiro copado para descansar, não imaginaria que tanta história iria lhe acordar( revelar). O juazeiro foi o lugar certo para uma reunião de animais que discutiam a situação do planeta e seu maior responsável por tanta degradação, o homem. Será realmente o porco o grande "seboso" da sujeira? O rato o grande ladrão? E ainda tem o burro que mesmo apanhando não revida seus açoites, pois sabe que ensina muita mais com sua resignação do que com sua vingança. E o veneno da cobra, que está somente em suas presas, enquanto que no homem faz lugar em seu coração. Pior mesmo é o argumento do cachorro, que toma vacina contra a raiva enquanto que seu amigo homem sofre de raiva aguda. Mas quem dá a última palavra é o morcego que encontra no bicho homem um cara "camarada" que constrói grandes casas e deixa seus irmãos sem morada!





Uma narrativa em cordel que encanta com seus versos ao mesmo tempo que transmite uma mensagem impactante pois a versão dos animais é muito mais plausível para explicar a irracionalidade humana. A beleza das ilustrações completam o texto em cores vivas e em imagens marcantes. A figura do juazeiro copado, que mesmo diante do clima quente e seco do Sertão mantém suas folhagens sempre verdes, torna-se o símbolo da resistência, força e garra frente à causa inadiável de se falar sobre o homem e sua relação com o meio, com o mundo e com as pessoas. Posso chegar a dizer que não se trata de uma narrativa fictícia, mas de uma história que se repete a cada dia. Poderia o homem fazer uma reunião assim também, não esquecendo de colocar lixeiras por perto.

 Posts recentes

© 2016 by Brincando e Contando

  • Black Twitter Icon
  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon